sexta-feira, 2 de março de 2012

TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO

Quer fazer uma boa dissertação argumentativa? Todos desejam ser bem avaliados em suas dissertações, afinal, esse tipo de texto é cobrado na maioria dos processos seletivos, tais como o Enem. Portanto, fique atento quanto às características dessa modalidade textual. Muitos escrevem, escrevem e não procuram saber nem mesmo o básico necessário para se fazer um texto dissertativo.  
Então, seja cauteloso quanto ao seguinte em sua dissertação: 
• Verbos: os verbos devem estar em terceira pessoa, referindo-se a: ele, ela, eles, elas.  
• Linguagem: é formal, logo, obedece às normas gramaticais. Dessa forma, empregos de expressões coloquiais, da oralidade e gírias estão excluídas, tais como: tá boa, o bofe lá, tampá o sol com a peneira, ninguém merece, isso está cheirando mal, sem noção, camarada, etc. 
• Palavras: devem ser usadas no seu sentido denotativo, literal, ou melhor, no que consta no dicionário. Deixe o sentido figurado para as poesias e outros tipos de textos. 
• Expressões: é comum lermos: eu acho, na minha opinião, de acordo com que penso a esse respeito, em redações dissertativas. No entanto, essas colocações são redundantes, pois é um texto que mostra o ponto de vista do autor em relação a um fato. Então, é redundante usar tais expressões, mesmo porque deve-se manter a terceira pessoa do discurso. 
• Períodos: devem ser objetivos e claros. De preferência, mais breves, pois períodos muito longos geram confusão. Aproveite e verifique se a pontuação está correta: se o ponto final está presente em cada ideia finalizada! Estará errada se as orações estiverem emendadas por vírgulas, ocasionando o período longo e confuso. 
• Estrutura: observe aqui a paragrafação, a divisão por parágrafos e também se há introdução, desenvolvimento e uma boa conclusão. Muitas vezes, esta última parte é esquecida! 
Por último observe se sua dissertação tem o mínimo de 20 linhas escritas e o máximo de 30 (tamanho exigido na maioria dos processos seletivos, principalmente no ENEM). Se você seguir esses critérios básicos e suficientes da dissertação, então, com certeza, terá uma ótima avaliação! 
INTRODUÇÃO 
A folha em branco, o tempo passando. As unhas roídas, o tema dado e nenhuma ideia. Muitas pessoas já passaram por uma situação semelhante, em que não sabiam absolutamente por onde começar a escrever sobre determinado assunto. Escrever pode ser fácil para qualquer pessoa, desde que esta queira se empenhar para tanto. Não há mágicas ou fórmulas práticas 
para aprender a escrever. Na verdade, é um trabalho que depende sobremaneira do empenho do interessado em aprender. 
Para este intento, algumas dicas práticas podem ser dadas para auxiliar, mas nada substitui a necessidade de escrever sempre. O ato da escrita deve se tornar algo natural, a fim de afastar o fantasma do “branco total”. Além disso, a leitura e a atualização de informações também colaboram muito na qualidade do texto. 
O objetivo da redação é chegar a um texto que será tão repleto de escolhas pessoais (ideias, palavras, estruturas frasais, organização, exemplos) que, até partindo de um mesmo assunto geral, milhares de pessoas podem chegar a um bom resultado apresentando trabalhos nitidamente diferentes. 
Para desenvolver esse trabalho, estas orientações direcionam-se ao estudo dissertativo. Será considerada uma média de 25 linhas para as redações, sobretudo no tocante à distribuição destas linhas nas subdivisões textuais apresentadas.
Muitas vezes, as maiores dificuldades estão na concretização das ideias no papel. Para auxiliar neste processo, este estudo conta também com um suporte de Língua Portuguesa. A preocupação aqui não é de nomenclaturas ou classificações, o que teve relevo foi a funcionalidade linguística no momento da escrita. 
Alguns pontos merecem destaque especial para um aprimoramento da escrita: 
• ler mais. 
• adquirir o hábito de escrever. 
• pontuar adequadamente. 
• organizar ideias. 
• construir períodos mais curtos. 
ESTRUTURA TEXTUAL 
Assunto 
Delimitar um aspecto acerca do tema proposto é importante para uma boa abordagem do assunto. Não se poderá fazer uma análise aprofundada se o tema for amplo, por isso especifica-se o assunto a ser tratado. 
A escolha do aspecto, entretanto, não pode restringir demais o tema ou corre-se o risco da falta de ideias. Essa delimitação deve ser feita na introdução e, a partir daí, o leitor sabe que aquele aspecto será explorado no decorrer do texto e a conclusão fará menção direta a ele. 
Observe alguns exemplos: 
• televisão - a violência na televisão / a televisão e a opinião pública. 
• a vida nas grandes cidades - a vida social dos jovens nas grandes cidades / os problemas das grandes cidades. 
• preconceitos - preconceitos raciais / causas do preconceito racial. 
• progresso - vantagens e desvantagens sociais do progresso / progresso e evolução humana. 
Agora delimite 3 aspectos que poderiam ser abordados acerca dos seguintes temas: 
• modernidade. 
• esporte. 
• comunicação de massa. 
Parágrafos 
São blocos de texto, cuja primeira linha inicia-se em margem especial, maior do que a margem normal do texto. Concentram sempre uma ideia-núcleo relacionada diretamente ao tema da redação. 
Não há moldes rígidos para a construção de um parágrafo. O ideal é que em cada parágrafo haja dois ou três períodos, usando pontos continuativos (na mesma linha) intermediários. 
A divisão em parágrafos é indicativa de que o leitor encontrará, em cada um deles, um tópico do que o autor pretende transmitir. Essa delimitação deve estar esquematizada desde antes do rascunho, no momento do planejamento estrutural, assim a redação apresentará mais coerência. 
Planejamento 
Escrever não significa apenas preencher o papel com frases, mas também não se constitui num martírio. Um texto pressupõe simples operações anteriores, entre as quais está o planejamento. 
Assim que se recebe uma proposta de redação, uma série de ideias sobre o assunto vêm à cabeça. Deve-se  registrar todos os pensamentos no papel. Fatos, informações, opiniões, um caso que aconteceu na sua rua, tudo deve ser anotado em forma de esquema. 
Esta primeira fase, denominada fluxo de ideias, é fundamental para a execução da redação. Muitas ideias anotadas talvez nem sejam utilizadas depois, enquanto outras podem surgir adiante. É claro que as ideias não vão aparecer do nada. Elas fazem parte de um repertório de opiniões, fatos, informações a que se está exposto todos os dias. 
Partindo desse conjunto desordenado de ideias, pode-se perceber a possibilidade de agrupá-las segundo certas semelhanças. Uma divisão possível seria em causas, consequências e soluções. 
Dica para captação de ideias: relacionar o tema proposto com a sociedade brasileira atual e fazer a pergunta “por quê” a cada argumento levantado, a fim de promover uma reflexão mais profunda sobre o assunto. 
Lembrar-se de que, ao redigir, não se deve esquecer de: 
• anotar todas as ideias, frases, palavras, sensações que surgirem sobre o tema. 
• fazer uma seleção das ideias que surgiram. 
• pensar num plano para o texto, estruturando-o em introdução, desenvolvimento e conclusão. 
• revisar no rascunho, ao final, a grafia das palavras, a pontuação das frases e a eufonia das palavras usadas, assim como a adequação vocabular ao contexto. 

QUALIDADES DE UMA DISSERTAÇÃO 
O texto deve ser sempre bem claro, conciso e objetivo. A coerência é um aspecto de grande importância para a eficiência de uma dissertação, pois não devem haver pormenores excessivos ou explicações desnecessárias. Todas as ideias apresentadas devem ser relevantes para o tema proposto e relacionadas diretamente a ele. 
A originalidade demonstra sua segurança e faz um diferencial em meio aos demais textos. Só não se pode,  em aspecto nenhum, abandonar o tema proposto. 
Toda redação deve ter início, meio e fim, que são designados por introdução, desenvolvimento e conclusão, respectivamente. As ideias distribuem-se de forma lógica, sem haver fragmentação da mesma ideia em vários parágrafos. 
Elementos de coesão: Algumas palavras e expressões facilitam a ligação entre as ideias, estejam elas num mesmo parágrafo ou não. Não é obrigatório, entretanto, o emprego destas expressões para que um texto tenha qualidade. Seguem algumas sugestões e suas respectivas relações: 
• assim, desse modo - têm valor exemplificativo e complementar. A sequência introduzida por eles serve normalmente para explicitar, confirmar e complementar o que se disse anteriormente. 
• ainda - serve, entre outras coisas, para introduzir mais um argumento a favor de determinada conclusão; ou para incluir um elemento a mais dentro de um conjunto de ideias qualquer. 
• aliás, além do mais, além de tudo, além disso - introduzem um argumento decisivo, apresentado como acréscimo. Pode ser usado para dar um “golpe final” num argumento contrário. 
• mas, porém, todavia, contudo, entretanto... (conj. adversativas) - marcam oposição entre dois enunciados. 
• embora, ainda que, mesmo que - servem para admitir um dado contrário para depois negar seu valor de argumento, diminuir sua importância. Trata-se de um recurso dissertativo muito bom, pois sem negar as possíveis objeções, afirma-se um ponto de vista contrário. 
• este, esse e aquele - são chamados termos anafóricos e podem fazer referência a termos anteriormente expressos, inclusive para estabelecer semelhanças e/ou diferenças entre eles. 
Reescreva os fragmentos a seguir, fazendo as adaptações necessárias para uma perfeita compreensão da ideia apresentada. 
• No Brasil não se sente uma necessidade de ajudar o próximo muito forte 
• Todos devem escolher o que mais lhes agrada e não a sociedade. 
• A imprensa é mais uma realização do homem que sofreu, desde a sua descoberta, gradativos aperfeiçoamentos. 
O QUE É DISSERTAÇÃO 
Dissertar é um ato praticado pelas pessoas todos os dias. Elas procuram justificativas para a elevação dos preços, para o aumento da violência nas cidades, para a repressão dos pais. É mundial a preocupação com a bomba atômica, a AIDS, a solidão, a poluição. Muitas vezes, em casos de divergência de opiniões, cada um defende seus pontos de vista em relação ao futebol, ao cinema, à música. 
A vida cotidiana traz constantemente a necessidade de exposição de ideias pessoais, opiniões e pontos de vista. É preciso persuadir os outros a adotarem ou aceitarem uma forma de pensar diferente. Em todas essas situações e em muitas outras, utiliza-se a linguagem para dissertar, organizam-se palavras, frases, textos, a fim de, por meio da apresentação de ideias, 
dados e conceitos, chegar-se a conclusões. 
Em suma, dissertação implica discussão de ideias, argumentação, organização do pensamento, defesa de pontos de vista, descoberta de soluções. É, entretanto, necessário conhecimento do assunto que se vai abordar, aliado a uma tomada de posição diante desse 
assunto. 
Argumentação 
Algumas expressões indicadoras de causa e consequência: 
• causa : por causa de, graças a, em virtude de, em vista de, devido a, por motivo de. 
• consequência : consequentemente, em decorrência, como resultado, efeito de. 
Algumas expressões que podem ser usadas para abordar temas com divergência de opiniões: em contrapartida, se por um lado... / por 
outro... , xxx é um fenômeno ambíguo, enquanto uns afirmam... / outros dizem que... 
Exemplo de argumentação para a tese de que as abelhas são insetos extraordinários: 
• porque tem instinto muito apurado. 
• porque são organizadas em repúblicas disciplinadas.
• porque fornecem ao homem cera e mel. 
• apesar de seus ferrões e de sua força quando constituem um enxame. 
Pratique levantando argumentos para os seguintes temas: 
• Orfandade. 
• Escravidão ontem e hoje. 
Determine causas e consequências para o analfabetismo no Brasil e consumo de tóxicos pelos jovens  

PARTES DE UMA DISSERTAÇÃO 
Introdução 
Constitui o parágrafo inicial do texto e deve ter, em média, 5 linhas. É composta por uma sinopse do assunto a ser tratado no texto. Não se pode, entretanto, começar as explicações antes do tempo. Todas as ideias devem ser apresentadas de forma sintética, pois é no desenvolvimento que serão detalhadas. 
A construção da introdução pode ser feita de várias maneiras: 
• constatação do problema
Ex.: O aumento progressivo dos índices de violência nos grandes centros urbanos está promovendo uma mobilização político-social. 
• delimitação do assunto
Ex.: A cidade do Rio de Janeiro, um dos núcleos urbanos mais atrativos turisticamente no Brasil, aparece nos meios de comunicação  também como foco de violência urbana. 
• definição do tema
Ex.: Como um dos mais problemáticos fenômenos sociais, a violência está mobilizando não só o governo brasileiro, mas também toda  a população num esforço para sua erradicação. 
Na construção da introdução, a utilização de um dos métodos apresentados não seria suficiente. Deve-se, num segundo período, lançar as ideias a serem explicitadas no desenvolvimento. Para tanto pode-se levantar 3 argumentos, causas e consequências, prós e contras. Lembre-se de que as explicações e respectivas fundamentações de cada uma dessas ideias cabem somente ao desenvolvimento. 
Observe alguns exemplos: 
• A televisão - Se por um lado esse popular veículo de comunicação pode influenciar o espectador, também se constitui num excelente divulgador de informações com potencial até mesmo pedagógico. (as três ideias: manipulador de opiniões, divulgador de informações e instrumento educacional.) 
• Escassez de energia elétrica - Destacam-se como fatores preponderantes para esse processo o aumento populacional e a má distribuição de energia que podem acarretar novo racionamento. (as três idéias: crescimento da população e da demanda de energia, problemas com distribuição da energia gerada no Brasil e a consequência do racionamento do uso de energia) 
• A juventude e a violência - Pode-se associar esse crescimento da violência com o número de jovens envolvidos com drogas e sem orientações familiares, o que gera preconceito em relação a praticantes de esportes de luta e “funkeiros” .
Desenvolvimento 
Esta segunda parte de uma redação, também chamada de argumentação, representa o corpo do texto. Aqui serão desenvolvidas as ideias propostas na introdução. É o momento em que se defende o ponto de vista acerca do tema proposto. Deve-se atentar para não deixar de abordar nenhum item proposto na introdução. Pode estar dividido em 2 ou 3 parágrafos. A abordagem depende da técnica definida na introdução: 3 argumentos, causas e consequências ou prós e contras. 
O conceito de argumento é importante, pois ele é a  base da dissertação. Causa, consequência, pró, contra são todos tipos de argumentos; logo pode-se apresentar 3 causas, por exemplo, num texto. A reflexão sobre o tema proposto não pode ser superficial, para aprofundar essa abordagem buscam-se sempre os  porquês. De modo prático o procedimento é  levantar os argumentos referentes ao tema proposto.  Fazer a pergunta por quê? A cada um deles, relacionando-o diretamente ao tema e à sociedade brasileira atual. 
A distribuição da argumentação em parágrafos depende, também, da técnica adotada: 
• 3 argumentos - um parágrafo explica cada um dos argumentos 
• causas e consequências - podem estar distribuídas em 2 ou 3 parágrafos. Ou agrupam-se causas e consequências, constituindo 2 parágrafos; ou associa-se uma causa a uma consequência e com cada grupo constroem-se 2 ou 3 parágrafos. 
• prós e contras - são as mesmas opções da técnica de causas e consequências, substituídas por prós e contras 
• abordagem histórica - compara-se o antes e o hoje, elucidando os motivos e consequências dessas transformações. Cuidado com dados como datas, nomes etc. de que não se tenha certeza. 
• abordagem comparativa - usam-se duas ideias centrais para serem relacionadas no decorrer do texto. A relação destacada pode ser de identificação, de comparação ou as duas ao mesmo tempo. 
É muito importante manter uma abordagem mais ampla, mostrar os dois lados da questão. O texto esquematizado previamente reflete organização e técnica, valorizando bastante a redação. Logo, um texto equilibrado tem mais chances de receber melhores conceitos dos avaliadores, por demonstrar que o candidato se  empenhou para construí-lo. Recurso adicional - para elucidar uma ideia e demonstrar atualização, pode-se apresentar de forma bastante objetiva e breve um exemplo relacionado ao assunto. Encontre uma causa e uma consequência relacionados à proposição abaixo e construa um parágrafo para cada argumento: 
• O Brasil tem enfrentado graves problemas na área de saúde e previdência públicas. 
• A campanha contra a miséria e a fome está mobilizando toda a nação. 
Indique três causas das proposições a seguir e justifique cada uma através de uma frase: 
• Precariedade do sistema de transportes. 
• Alto índice de mortalidade infantil. 
• Congestionamento nas grandes cidades. 
Aponte três consequências para os temas abaixo e construa um parágrafo fundamentando cada uma: 
• Baixo índice de mão-de-obra especializada. 
• Falta de investimento em tecnologia. 
• Uso de agrotóxicos. 
Levante um argumento favorável e um desfavorável para a proposição a seguir. Construa um parágrafo envolvendo suas idéias: 
• As greves dos trabalhadores em relação à sociedade e à nação.

Conclusão 
Representa o fecho do texto e vai gerar a impressão final do avaliador. Deve conter, assim como a introdução, em torno de 5 linhas. 
Pode-se fazer uma reafirmação do tema e dar-lhe um fecho ou apresentar possíveis soluções para o problema apresentado. Apesar de ser um parecer pessoal, jamais se inclua. 
Evite começar com palavras e expressões como: concluindo, para finalizar, conclui-se que, enfim... 
EVITAR NUMA DISSERTAÇÃO 
Após o título de uma redação não coloque ponto. 
Ao terminar o texto, não coloque qualquer coisa escrita ou riscos de qualquer natureza. Detalhe: não precisa autografar no final também, e ainda assim será uma obra-prima. 
Prefira usar palavras de língua portuguesa a estrangeirismos. 
Não use chavões, provérbios, ditos populares ou frases feitas. 
Não use questionamentos em seu texto, sobretudo em sua conclusão. 
Jamais usar a primeira pessoa, a menos que haja solicitação do tema (Ex.: O que você acha sobre o aborto - ainda assim, pode-se usar a 3ª pessoa) 
Evite usar palavras como “coisa” e “algo”, "etc", "ou seja", "digo", por terem sentido vago. Prefira: elemento, fator, tópico, índice, item. 
Repetir muitas vezes as mesmas palavras empobrece o texto. Lance mão de sinônimos e expressões que representem a ideia em questão. 
Só cite exemplos de domínio público, sem narrar seu desenrolar. Faça somente uma breve menção. 
A emoção não pode perpassar nem mesmo num adjetivo empregado no texto. Atenção à imparcialidade. 
Evite o uso de etc. e jamais abrevie palavras 
Não analisar assuntos polêmicos sob apenas um dos lados da questão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário